Quem Somos

O SOS 4 Patas

O SOS 4 Patas – Centro de Proteção e Defesa dos Animais de Resende, é uma Organização fundada em 14 de setembro de 2000, legalmente constituída em 06 de outubro de 2000, declarada de Utilidade Publica Municipal conforme resolução numero 3918 de 16 de abril de 2002, e afiliada ao Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal desde 2004.

Nossa Organização não visa lucros e nossa Diretoria e Conselho Fiscal não é remunerada sob nenhuma forma. Atuamos no âmbito da saúde e da educação humanitária através de atendimento medico-veterinário preferencial a animais de rua e aqueles pertencentes a famílias de baixa renda, e na capacitação de educadores ambientais da rede municipal, enfocando a guarda responsável de animais de estimação, zoonoses e bem-estar animal.

Acreditamos que toda a sociedade é responsável pelo cuidado com os animais domesticados. Por isso, não possuímos abrigo e não recolhemos animais.

Nossas Finalidades

Assistência médico-veterinaria aos animais de rua e animais pertencentes a famílias de baixa renda e também a realização constante de campanhas de esterilização.

Campanhas voltadas para estudantes com palestras, folhetos, cartazes, concursos, dentre outros, enfocando a guarda responsável e os direitos universais dos animais.

Promoção da ética e da cidadania, aproximando as pessoas físicas e jurídicas, leigos ou profissionais que possam oferecer aos animais, abandonados ou não, melhores condições de vida.

Quem se dispõe a ser tutor de um animal doméstico e não dono, pois eles não são objetos, deve estar preparado emocional e financeiramente para isso. Animais desenvolvem vínculos afetivos com seus tutores e com outros animais de uma casa. Eles são dependentes dos humanos e não devem ser considerados como descartáveis.

Exigem atenção, cuidados, carinho e tempo. E os cuidados na boa alimentação, na prevenção de doenças e no tratamento dessas, pedem dinheiro.

Por isso, antes de levar um bichinho para casa, reflita se você realmente está disposto e tem condições de dedicar muito anos de sua vida (de 8 a 18 para cães e gatos, em geral) a ele.

Levou milhares de anos para que cães e gatos se adaptassem ao convívio com humanos em ambientes domesticados. E ainda hoje muitos desses animais sofrem por não poderem manifestar comportamento natural, seja por tratamento inadequado por seus tutores, seja pela não adaptação individual.

Não precisamos fazer o mesmo com outras espécies. Tirar animais da natureza hoje contribui para o desequilíbrio ecológico, financia o tráfico (que em geral está associado a outro crimes), coloca em risco a saúde dos animais e da população (pela potencial disseminação de doenças pouco conhecidas) e, principalmente, é uma violência contra os animais, realizada apenas pelo prazer egoísta do ser humano.

Mesmo que a lei permita a criação de algumas espécies em cativeiro, isso não torna ético esse ato..

Castrar um animal é um ato humanitário. A maior parte dos filhotes de animais de rua, e mesmo de parte dos que habitam em lares, não consegue ser adotada e acaba morrendo de modo doloroso - pela sede, fome, doença ou maus tratos.

A castração também evita doenças e minimiza distúrbios de comportamento relacionados com a agressividade. Se você tem dúvidas sobre esse assunto, procure um veterinário ou escreva-nos: contato@sosquatropatas.org.br

Nosso trabalho em Educação Humanitária é dirigido principalmente à formação de docentes, mediante cursos e eventos. Ele se baseia nos seguintes princípios:

- Empatia: reconhecer que os animais tem necessidade e são seres sencientes;
- Interdependência: reconhecer que os seres humanos interagem com os outros animais e que suas ações tem um profundo impacto nas vidas deles e no meio ambiente;
- Conhecimentos: compreender como as ações humanas podem afetar os seres humanos e os outros seres vivos;
- Valores: desenvolver e demonstrar atitudes de compaixão, respeito e responsabilidade.

Para saber mais sobre isso, escreva-nos: contato@sosquatropatas.org.br

Diretoria

Com base no artigo 11, item "a" do Estatuto Social, foram eleitas e empossadas as pessoas físicas a seguir qualificadas para compor a nova Diretoria para o período de setembro/2014 a setembro/2017.

Alba Bento - Diretora Geral
Ângela de Melo - Diretora Administrativa
Célia Serrano - Diretora Financeira
Milton Tolfo - Presidente do Conselho Fiscal
Paulo Barbosa - Suplente de Presidente de Conselho Fiscal
Alvarina de Oliveira - Vice-Presidente do Conselho fiscal
Antonio Bento - Suplente de Vice-Presidente do Conselho fiscal
Luis César - Secretário do Conselho Fiscal
Maria de Souza - Suplente de Secretário do Conselho Fiscal

Downloads

Baixe aqui nosso Estatuto


Nossos Parceiros